Prefeitura negocia com o Exército liberação de área enquanto obras do viaduto da Bento estão paradas

Viaduto terá extensão total de 540 metros, com seis faixas de tráfego   Foto: Divulgação/PMPA

Viaduto terá extensão total de 540 metros, com seis faixas de tráfego Foto: Divulgação/PMPA

A prefeitura de Porto Alegre está tendo dificuldades para negociar com o comando do 3º Regimento da Cavalaria de Guarda, Porto Alegre, que não quer saber de ceder 80 metros da sua área que possui na avenida Bento Gonçalves, perto da PUC. A pequena área foi incluída no projeto de construção do viaduto que ligará a Aparício Borges à Salvador França sobre a Bento Gonçalves.

O resultado é que as obras foram iniciadas e resultam agora paralisadas.

O viaduto faz parte de uma série de obras de mobilidade que estão ocorrendo na Terceira Perimetral, que incluem também o viaduto sobre a Plínio Brasil Milano e as passagens de nível na Anita Garibaldi, Cristóvão Colombo e Ceará.

As obras do viaduto começaram em agosto de 2012. Com investimentos no valor de R$ 69,6 milhões, sua conclusão é prevista para maio de 2014. O viaduto terá extensão total de 540 metros, com seis faixas de tráfego. Incorpora estação de ônibus do corredor da Terceira Perimetral.

Uma das alças do viaduto passará junto a uma área que pertence ao Exército, que na região possui o 3º Regimento da Cavalaria de Guarda. Para a continuidade da obra, é necessária a liberação da área por parte do Exército, o que ainda não ocorreu. Na semana passada, o secretário de Gestão, Urbano Schmitt, esteve em Brasília para tratar do assunto, mas de novo não conseguiu nada. As negociações para a liberação já duram seis meses.

Políbio Braga, adaptado.



Categorias:Meios de Transporte / Trânsito, Trincheiras e passagens de nível, Viadutos e pontes estaiadas

Tags:, , , ,

38 respostas

  1. Aqueles 80 m² faz parte é o campo de polo do regiemtno. Então a briga é com coronel que joga nos finais de semana, com “peixes maiores” e tal. Enfim, independente de como é usado o espaço ou se será cedido ou não, era necessária uma negociação prévia para evitar a paralisação da obra.
    Falando em obras, todos os dias eu saio da zona sul, mais exatamente de Belém Novo (final da cidade) e está uma vergonha aquele asfalto. Faz 1 ano que vejo aquele serviço porco, inacabado, remendado… Meu marido já se acidentou de moto à noite por falta de sinalização e iluminação (perdeu a moto e rasgou o pé ficando 1 semana sem trabalhar) eu já quebrei uma roda do meu carro e nem vou comentar sobre a suspensão. Uma vergonha! Pior é que não existe caminho alternativo, só existe a Juca Batista como opção. Um lixo!!!

    Curtir

  2. Realmente é importante que o nosso valorozo exercito queira manter aquela área sob sua propriedade, pois certamente do jeito que vão as coisas, os cavalos vão ser o nosso melhor meio de locomoção no futuro e as avenidas e viadutos não serão mais nescessários. Sugestão: Prefeitura ceder as áreas das avenidas para o exercito.

    Curtir

  3. Ali naquele local da Salvador França 201 fica o 3º Reg. de Cavalaria do Exercito. Ali é um campo de treinamento de guardas do Exército.
    Nada se planeja, é tudo feito à revelia, ninguém tem competência, se meteram a fazer uma copa do Mundo sem ter o mínimo de responsabilidade e agora querem fazer tudo a toque de caixa….

    Curtir

  4. Vamos colocar os pingos nos is.
    .
    Qual a responsabilidade da atual gestão nos atrasos de todas as obras que ela mesmo lançou?
    .
    O que há na prefeitura atualmente é uma carência de profissionais técnicos em todas as áreas. Esta carência é causada pelo desleixo das últimas administrações em realizar concursos públicos setoriais para estas áreas, digo setoriais pois seria necessário a realização de provas específicas por áreas de atuação para pegar pessoal qualificado para cada uma delas, por exemplo, o engenheiro que se dedica a pavimentação, não tem o mesmo perfil do que se dedica à construção de casas populares (nesta última, por exemplo, arquitetos poderiam muito bem participar do certame.
    .
    Agora o que poderia o Prefeito como solução de emergência ter feito? Poderia no lugar de inchar os quadros da prefeitura com CCs dos mais diversos matizes, que geralmente servem para satisfazer demandas meramente políticas, defenestrar meia dúzia destes e chamar CCs com formação específica nas áreas técnicas.
    .
    Então podemos concluir que o senhor prefeito erra em simplesmente em continuar sem fortalecer a área técnica e nomear CCs que não contribuem para a administração PROFISSIONAL destas obras.
    .
    O que causa isto? O que se viu na construção do Conduto Álvaro Chaves, a contratação por licitação de uma fiscalização de empresas privadas para fazer o principal papel que cabe aos agentes públicos, verificar o que está sendo feito!

    Curtir

  5. Engraçado que o querido Exércido doou/vendou/alugou mais de metade do terreno para a PUCRS…

    Curtir

  6. Os cavalos precisam de espaço para viver e a prefeitura não levou isso em conta. Ainda sim, acho necessário a negociação não só com o exercito, mas também com o Ibama, certamente existe alguma espécie rara de formiga naquela area. Parabéns Prefeitura de Porto Alegre.

    Curtir

    • Não atiça o IBAMA, vai que eles acham mesmo????

      Curtir

    • Claro, a prefeitura devia passar por cima das regras desse maldito estado de direito e sair fazendo.

      Curtir

      • Incompetência e falta de planejamento….para essa e as outras obras. Ouvi e vi na TV agora a explicação da “ruptura” ref. à obra da Bordini….. cedeu…. e dai, cedeu…..sem mais comentários pq vai me faltar vocabulário..

        Curtir

      • Thiago, Alex e Felpe.
        .
        Se não houvesse impedimento constitucional para qualquer prefeitura utilizar áreas dos estados e áreas da União, provavelmente elas seriam loteadas ou promovidas invasões clandestinas (como geralmente é feito por vereadores e prefeitos em áreas verdes).
        .
        Este reglamento constitucional é PERFEITAMENTE JUSTIFICÁVEL, o exército Brasileiro pode guardar para si áreas em locais centrais para posterior utilização. Por exemplo, se o comando no centro ficar inadequado para as funções que exerce, pode perfeitamente o Exército querer utilizar a área atual para erguer um prédio nesta região.
        .
        Mais uma vez, raciocinando em tese, se o Exército Brasileiro quiser remanejar algum de seus prédios centrais o que ele deveria fazer, perder uma parte de um terreno numa área central para depois ter que comprar por um preço muito mais caro de particulares?

        Curtir

  7. Senhores.
    .
    Para liberar uma área federal é necessário a aprovação do Congresso, se a prefeitura não sabia disto é uma total falta de planejamento. Vou colocar uma tecla que simplesmente quando apertar um Ctrl+…+… Já coloque a frase, “é uma total falta de planejamento”, vai me economizar um monte de tempo!

    Curtir

    • Tanta burocracia assim para liberar uma faixa de terreno?

      Exatamente por isso que nada funciona nesse Republiqueta.

      Curtir

      • Julião.
        .
        Por um acaso sabes quais os procedimentos necessários para liberar áreas federais nos USA para prefeituras?.
        .
        Julião, por exemplo a Inglaterra possuem áreas que pertence a família real que são intocáveis, e para que servem estas áreas? Algumas servem como áreas de lazer para a família real inglesa.
        .
        É extremamente fácil denominar o Brasil como uma “republiqueta” e simplesmente lançar a culpa da imprevidência e falta de organização da PMPA numa norma constitucional que serve para resguardar áreas públicas federais do mau uso por estados e mUnicípios.

        Curtir

        • Sei sim, tem de pedir autorização para el rey até para comprar banana.

          Curtir

        • Julião, tu achas realmente que se uma prefeitura quisesse um terreno do exército americano eles iam deixar pegar o trecho assim no mais?

          Curtir

        • Julião.
          .
          Só para dar mais um exemplo relatado pela imprensa britânica.
          Um fabricante de aerogradores se aproximou do príncipe consorte da Inglaterra e começou um papinho bobo sobre as vantagens ecológicas dos aerogeradores, bem no início do papo o príncipe cortou a conversa com algo como:
          .
          -Afaste as tuas patas com teus aerogeradores de minhas terras.
          .
          Olha parece até que o príncipe é presidente honorário do WWF, e simplesmente deu um chega para lá, isto tudo para não enfeiar os parques da realeza!

          Curtir

  8. Como começa uma obra sem ter todas áreas liberadas?

    Curtir

  9. Só em POA mesmo!

    Curtir

  10. pra que forças armadas em área
    urbana?…esse conceito não existe mais.

    Curtir

  11. Eu acho incrível que a prefeitura continua dizendo que todas as obras ficarão prontas pra copa. As obras na Cristóvão Colombo e Plínio Brasil Milano nem começaram. Aonde começaram há arremedos. A ridícula ponte do Dilúvio na duplicação da Beira-Rio é uma lenda. Falta 1 ano e 2 meses e eles insistem nessa enganação de que estará pronto pra copa. Eu aposto que passará mais de um ano do fim da copa e ainda teremos obras inacabadas. E as prontas estarão capengas. Escrevam isso.

    Curtir

  12. A M A D O R I S M O !

    Curtir

  13. Prevejo um futuro tenso pra Paróquia São Jorge…

    Curtir

  14. Que falta de planejamento da Prefeitura ao iniciar uma obra sem a total desapropriação da área.

    E que falta de bom senso do Exército ao não ceder seu espaço, impedindo a continuidade da obra.

    Curtir

  15. Pra que o exercito quer 80metros??????? estão se preparando pra guerra com a coreia do norte e precisa de espaço pra treinar????? afff, nessa cidade tudo para, que saco!!!!

    Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: