Com terceiro prazo próximo do fim, Beira-Rio segue em obras

Reforma no estádio do Inter deve ser concluída até 31 de março

Bombeiros devem vistoriar o estádio nesta quinta-feira Crédito: Ricardo Giusti

Bombeiros devem vistoriar o estádio nesta quinta-feira
Crédito: Ricardo Giusti

Logo mais, quando for ao Beira-Rio despachar, ao invés de acomodar-se em sua sala no remodelado Beira-Rio, Giovanni Luigi terá de contentar-se com um lugar pouco mais que improvisado no Centro de Eventos. A sua sala já era para estar pronta, mas, assim como uma série de outras partes do estádio, segue em obras. E agora não são estabelecidas novas datas para a conclusão. “A impressão que temos é que não há mais prazo final. Se der para sediar a Copa do Mundo, o contrato está cumprido”, observa um conselheiro, que tem participado das últimas reuniões da Comissão de Obras.

Os prazos anteriores, 31 de dezembro e 28 de fevereiro, já foram abandonados. O objetivo é ter o estádio próximo da conclusão em 31 de março. Ou seja, daqui a pouco mais de duas semanas, quando se encerra uma espécie de prorrogação concedida à construtora, conforme mostra as cláusulas do contrato entre AG, Brio e Inter reproduzidas ao lado. Sabe-se, porém, que mesmo na festa de reinauguração, dia 5 de abril, haverá muita coisa por fazer.

Nem a cobertura está concluída. Atualmente, os alpinistas conseguiram instalar a “solda” entre as membranas em aproximadamente 30% da cobertura. O Beira-Rio, aliás, deve ser vistoriado nesta quinta-feira pelos Bombeiros. Se for aprovado, sediará, com cerca de 25 mil torcedores, o jogo contra o Cruzeiro, sábado, pelo Campeonato Gaúcho. A Fifa também vai vistoriar o Beira-Rio nesta sexta-feira. E o encontrará semipronto ainda.

Trechos do Contrato

A cláusula do prazo:

• 8.1 – Prazo do contrato: o termo final para conclusão das obras descritas neste contrato é 31 de dezembro de 2013 (‘prazo do contrato’), observado o quanto disposto no item 27.2. abaixo.

A cláusula da multa:

• 27.1. – Danos prefixados: em caso de atraso na entrega das obras, ressalvadas as hipóteses de alteração do prazo do contrato previstas, em conformidade com este contrato, a Contratada deverá arcar com multa quinzenal compensatória equivalente a 0,5% (meio por cento) do preço do contrato atualizado, nos termos deste contrato atualizado, nos termos deste contrato (Sic).

A cláusula do prazo extra:

• 27.2. – Período de carência. As partes acordam que, relativamente ao prazo do contrato, observado o item 27.2.1 abaixo, a Contratada fará jus a um período de carência de 90 noventa dias, de tal forma que, eventual penalidade por atraso, nos moldes da 27.1. somente será aplicada após o término deste período de carência, tudo desde que a carência não interfira com os trabalhos e preparativos do Interveniente-Anuente, da Fifa e/ou de terceiros para ultimar suas instalações no estádio Beira-Rio, com o intuito de sediar uma ou mais partidas da Copa do Mundo, conforme descrito no preâmbulo deste contrato.

Correio do Povo



Categorias:COPA 2014, Reforma do Estádio Beira-Rio

Tags:,

14 respostas

  1. Não se esqueçam de contribuir para a Campanha do Tijolo .

    Curtir

  2. Ué, cade o mais de 90% de estadio pronto que estavam a meses esbravejando??? os mais de 90% era a grama???? Sem comentarios!!!

    Curtir

    • Sempre comentários lamentáveis por parte deste usuário.
      Seria bom se aplicasse o “Sem comentários”.

      Curtir

    • A AG pode chutar o percentual de conclusão que quiser, mas se não está 100% concluído vão passar a pagar multa ao Inter daqui uns 12 dias de cerca de 17 milhões quinzenais. Bobear, em duas semanas de atraso o Inter paga as estruturas provisórios só com o dinheiro da multa

      Curtir

      • Só me corrigindo, a multa quinzenal seria de 1,75 milhão

        Curtir

      • Problema resolvido!!!

        Curtir

        • Problema resolvido?
          É uma pouca vergonha isso sim,obra super faturada com prazo estourado de propósito,e ainda assim vem um ”””’ e diz que é problema resolvido?
          És uma pobre mente Tupiniquim “AJ”,é ai onde o interbrio(associação clube e governo)vão ganhar!!!
          O MP deveria interditar essa fantasia popular de copa dos bobos,a copa onde mais se enganou o povo,”gaúcho”,que vai ser escravo após este evento lubridiado e falido,por mais de 10 anos.
          E que venha a conta da divida pública do estado…
          ”Povo que não luta pra ser livre,acaba por ser escravo” já é coisa do passado!

          Viva 31 de março de 64!!!

          Curtir

    • EXTRA !!!!!!!!!!!!!

      Integração “público-privada” traz riscos aos pedestres : https://twitter.com/alexaguiarpoa/status/446302977784303616/photo/1

      Curtir

      • pois é, uma reportagem dessas, creio que só va sair assim que morrer alguem quando liberarem a padre cacique, aí eu quero ver, uma vez a EPTC foi questionada sobre isso, e iria ficar de olho, caso em dia de jogo ocorresse algo, podedia até pedir a interdição do estádio, agora, até que ponto isso é real, eu nao sei, mas que alguem fez m***** nesse projeto, fez!

        Curtir

      • Pelo que eu entendi, depois de pronto o pedestre vai passar por baixo das estruturas do estádio. De qualquer forma, o questionamento é válido, e se acontecer uma colisão alí? Vai derrubar toda aquela peça metálica do estádio? Ou usarão aquele método de colocar canos cheios de cimento na frente da estrutura, para protegê-la dos carros?

        Curtir

      • Mas ainda essa história da P.Cacique ?
        Em Madrid, cidade atrasada e retrógrada, está tudo certo.

        Ainda não entenderam ou não querem entender que a Avenida foi alargada e não o Beira-rio que invadiu a avenida ?

        Mas quanto ranço! Por isso que ele não deu certo em nenhuma rádio…

        Curtir

        • Se tivessem feito como em Madri, cobrindo toda a rua, não ficaria tão evidente a enjambração.

          Curtir

%d blogueiros gostam disto: