Trem 2011: para ir de Novo Hamburgo a Porto Alegre só com baldeação

Medida deve ser adotada pela Trensurb para evitar a superlotação nos vagões

Foto: Danielle Dalbosco

São Leopoldo – A Trensurb bateu novo recorde de passageiros por dia útil, chegando a 173.391 usuários em novembro. O número é bom para os cofres da empresa, mas é também um alerta, já que a partir de março do próximo ano haverá um incremento de 30 mil passageiros em função da expansão da linha metroviária até Novo Hamburgo. Para suportar a nova demanda, a Trensurb, segundo o diretor de Operações, Paulo Renato Amaral, estuda a diminuição do tempo mínimo de intervalo dos trens e testa, entre janeiro e fevereiro, o chamado sistema de carrosséis, que consiste em trens chegando e partindo de São Leopoldo diretamente a Novo Hamburgo e de São Leopoldo com destino a Porto Alegre. “Os trens não partirão direto de Novo Hamburgo à Capital”, adianta.

COMO PODE FUNCIONAR

Conforme Amaral, a ideia é que as partidas de São Leopoldo para Novo Hamburgo – previstas a cada 10 minutos – sejam diminuídas para 8 minutos, dando mais agilidade no deslocamento. O diretor explica, ainda, que será feita uma espécie de baldeação na Estação São Leopoldo, o que contribuirá para driblar a superlotação que pode vir a ocorrer com o incremento dos 30 mil usuários. “Nossa intenção é que os usuários, apesar de pagar um único bilhete, tenham de descer em São Leopoldo para continuar a viagem até a Capital.” De acordo com Amaral, a Trensurb avalia implantar o sistema de carrosséis em outros pontos da linha.

O RANKING DAS ESTAÇÕES

Das 17 estações que atendem Porto Alegre, Canoas, Esteio, Sapucaia do Sul e São Leopoldo, a Estação Mercado é a que lidera o ranking de passageiros, com 29.175 mil usuários/dia. O número se refere a novembro. “Se contarmos os sábados e domingos e calcularmos a média geral de usuários, esse índice aumenta para 710.304 no mesmo mês. E no próximo ano devemos fechar 2011 com um bilhão de passageiros”, calcula Sérgio de Jesus, do Setor de Informações para Gestão da Trensurb.

Adaptação está em estudo

“Não há nada definido, tudo está em estudo. Hoje, em horários de pico, alguns trens saem da Estação Mathias com destino a Porto Alegre para diminuir a lotação, mas ainda não sabemos se conseguiremos fazer isso nos demais trechos”, detalha o diretor de Operações da Trensurb, Paulo Renato Amaral. O tempo de intervalo dos trens varia de 4 a 15 minutos, conforme o horário.

Para amenizar problemas com superlotação, que hoje já ocorre nos horários de pico nos trechos mais críticos, a Trensurb estuda comprar novos trens, em um investimento que pode ultrapassar R$ 400 milhões. Segundo o diretor Paulo Renato Amaral, os novos veículos, mais modernos, com maior capacidade de transporte e com ar-condicionado, só estariam disponíveis após um ano e meio. “Estamos montando o edital para a aquisição dos veículos, mas mesmo que isso ocorra logo, um trem completo só deve entrar em funcionamento daqui a no mínimo um ano e meio.”

Estrutura

Atualmente, a Trensurb dispõe de 25 trens de quatro vagões para fazer o trajeto entre Porto Alegre e São Leopoldo. A intenção, segundo Paulo Renato Amaral, é ampliar esse número para 33 trens com seis vagões. “Com certeza, com esses novos veículos, conseguiremos dar um atendimento melhor ao usuário, mas no início das novas estações, o sistema ainda será precário.”

Obras da Estação Fenac começam em fevereiro

O superintendente de Expansão e Obras da Trensurb, Humberto Caster, afirma que as obras em Novo Hamburgo estão dentro do cronograma programado pela empresa e alguns trechos estão até adiantados. “Já foi investido por volta de 71% do valor previsto, de R$ 652 milhões. Operacionalmente, a Estação Liberdade está pronta e o trecho até a Estação Fenac está em execução”, explica, se referindo às duas primeiras estações de Novo Hamburgo. A partir de fevereiro, segundo Caster, começam as obras de construção da Estação Fenac e fundações até a Estação Novo Hamburgo, última da linha, ao lado do shopping.

“O trecho mais crítico construído até agora foi da ponte do Rio dos Sinos à Estação Rio dos Sinos, porque tivemos de remover e reassentar famílias. Hoje o território está totalmente liberado e estão sendo feitas as proteções laterais”, afirma. O superintendente acrescenta que as obras da Estação Rio dos Sinos estão aceleradas, pois a estrutura é uma réplica da Estação Liberdade, só foram feitos alguns ajustes no projeto.

Jornal NH

 

Share



Categorias:Metro Linha 1

Tags:, , , ,

5 respostas

  1. Ora poix, é que elex são de purrrtugallll, meus caroxxxx!!! só pode serrrr!!!!

    Curtir

  2. hahaha que bobagem!!!

    Curtir

  3. Nunca vi isso ! Uma linha só e ter que descer pra ir em frente ! Não entendo !

    Curtir

  4. Espero que assim que terminarem as obras em NH, façam um plano urbanístico, pois que a Av. 1º de Março era totalmente arvorizada. Dá até um sentimento de melancolia, já que cresci em NH e a avenida está virada num subúrbio terrível.

    Mesmo com tudo isso, o trem é muito bem-vindo à cidade, pois não dá para querer o “direto” da Central…

    Curtir

  5. Não entendi uma coisa… As pessoas vão descer em São Leopoldo pra subir em outro trem. Não dá na mesma? Tipo, as mesmas 30 mil pessoas que subirem em NH vão chegar no Mercado (claro, exagerando ocmo se todos quisesse ir até o Mercado). Não vai diminuir em nada. Só os coitados dos Hamburguenses que estavam sentados, terão que disputar um banco novamente:

    http://glo.bo/eSihFA

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: