Ministra do Planejamento diz que Porto Alegre tem vantagens no PAC da Mobilidade

A reunião aconteceu na tarde desta quarta-feira, em Brasília

A presidente e a ministra do Planejamento no lançamento do PAC 2 da Mobilidade Urbana nas Grandes Cidades Foto:Ed Ferreira,Agência Estado / AGENCIA ESTADO

A  ministra do Planejamento, Miriam Belchior, afirmou no fim da reunião com a comitiva gaúcha que a obra do metrô de Porto Alegre apresenta  vantagens na disputa dos recursos do Programa de Aceleração do Crescimento 2 (PAC) Mobilidade Urbana nas Grandes Cidades. A reunião aconteceu na tarde desta quarta-feira, em Brasília, com a presença de 18 deputados federais, 3 deputados estaduais, uma senadora e o prefeito da Capital. Além da ministra do Planejamento, o ministro das Cidades, Mario Negromonte, participou do encontro.

Segundo Miriam, Porto Alegre tem uma boa proposta e que já vem sendo discutida desde os preparativos para a Copa do Mundo de 2014. Como o governo do Estado está disposto a dar isenção fiscal para a obra do metrô, este é mais um fator que beneficia o projeto da Capital.

O prefeito José Fortunati saiu otimista da reunião e disse que começaria a buscar recursos junto à iniciativa privada para inscrever o projeto até dia 3 de abril.

ZERO HORA

 

MATÉRIA DO JORNAL DO COMÉRCIO

 

PAC da mobilidade urbana pode viabilizar metrô em Porto Alegre

A ministra se reuniu com Fortunati e comitiva gaúcha.

Atualizado às 18h30.

A implantação de um metrô em Porto Alegre foi o tema do encontro do prefeito da Capital, José Fortunati, com a ministra do Planejamento, Orçamento e Gestão, Miriam Belchior. Eles se reuniram, junto a uma comitiva de deputados e senadores gaúchos, além do secretário estadual de Planejamento, João Motta, nesta quarta-feira (16) na sede do ministério do Planejamento, em Brasília.

De acordo com Fortunati, o encontro foi proveitoso e os gaúchos saíram dele confiantes em uma parceria com o governo federal para realizar o projeto. A possibilidade é que o metrô seja incluído dos projetos do PAC 2 da mobilidade urbana, programa apresentado pelo governo com orçamento de R$ 18 bilhões que serve para melhorar a infraestrutura de transporte público das 24 maiores aglomerações urbanas do país.

“Pelas diretrizes e critérios anunciados, que são os balizadores para seleção das obras, nosso projeto está totalmente adequado ao programa”, afirmou Fortunati.

Para a ministra, “Porto Alegre leva vantagem” sobre os projetos das demais cidades no PAC Mobilidade Grandes Cidade. Segundo a ministra, o projeto básico para construção do metrô de Porto Alegre já está pronto e a prefeitura está apenas aperfeiçoando a proposta. Ao longo de 2010 foram realizadas reuniões entre a prefeitura da Capital e o governo federal. Além disso, a capital gaúcha atende aos critérios para seleção de projetos. Dentre eles, o fato de ser sede de jogos da Copa do Mundo em 2014. No entanto, ela adiantou que qualquer decisão sobre projetos do Programa de Aceleração de Crescimento (PAC) só serão definido em julho.

O metrô tem prazo de entrega no primeiro semestre de 2014 e exige um gasto de cerca de R$ 2,3 bilhões, que seriam obtidos através de uma parceria público-privada. Pela proposta elaborada pela prefeitura, governo estadual e Trensurb, o investimento inicial será do governo federal e da empresa a ser licitada. Os recursos do município seriam aplicados na etapa de operação. Também estão previstas isenções fiscais estaduais para viabilizar a iniciativa. A gestão do sistema ficará com a prefeitura e a operação será da empresa vencedora, que terá concessão de 30 anos para administrar o meio de transporte.

A linha do metrô deve ter entre 12,5 e 15,3 quilômetros de extensão e pode contar com até 14 estações. A certeza é de que a linha passará pelo Centro Histórico e seguirá em direção à Zona Norte, percorrendo, de modo subterrâneo, avenidas como a Farrapos e a Assis Brasil.

Os projetos concorrentes ao PAC da mobilidade deverão ser inscritos até o início de abril e os selecionados serão divulgados no dia 12 de junho. Com informações da Agência Brasil.

Jornal do Comércio

Share



Categorias:Metro Linha 2

Tags:, ,

5 respostas

  1. Eu agradeço que sempre morei longe, não passo por ali e prefiro continuar assim 😛

    Curtir

  2. Everton… Se você visse como é o dia-a-dia da Assis Brasil, reformularia este teu comentário.

    Primeiro, eu já contei 34 ônibus enfileirados em horário de pico desde a Estação Obirici do corredor, passando por cima do viaduto. Vejo ônibus trancando por toda a via os cruzamentos. Tentando atravessar a Assis Brasil, já fiquei preso durante 20 minutos num espaço de 50 metros por causa da quantidade assustadora de ônibus. Já vi os corretores LOTADOS, entupidos de gente, às 10 horas da noite.

    O fato é que a Assis Brasil é uma das regiões que mais concentra gente em Porto Alegre, e ali é um corredor para três grandes cidades: Alvorada, Cachoeirinha e Gravataí. Com a Zona Norte, são mais de um milhão de pessoas que precisam passar por ali todos os dias.

    Qualquer estudo ali indicaria que o corredor de ônibus precisa urgentemente ser substituído por uma linha de metrô.

    Curtir

  3. Ainda mais com as aglomerações de prédios montruosos de baixo acabamento e pouco espaçamento ( como nos próximos ao triangulo) com mais de 1 mil aptos classe “média”, poucos metros e quase um favelão mais sofisticado… sem falar nos “grandes empreeendimentos comerciais” ( shopings) construidos no local, além de que uma das 3 pistas para estacionamento, etc…
    Nem sei se metrô será solução o porvirpara essa concepção(?) de urbanização ditada pela espuculação imobiliária, acho que amenizará e será bem-vindo…mas…

    Curtir

  4. bom comentário do Vitor

    Curtir

  5. Assis Brasil precisa de metrô há pelo menos dez anos. Vai ser bem-vindo.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: