Carris testa ônibus de 27 metros, bi-articulado

A partir desta terça-feira, 27, a Companhia Carris Porto-alegrense faz testes com um ônibus biarticulado. A capacidade do veículo é para 53 passageiros sentados e 110 em pé, com 27 metros de comprimento e duas articulações sanfonadas.

“Estaremos realizando testes para atender a crescente demanda dos usuários. E, se efetivamente, houver possibilidade de rodar nas nossas linhas sem problemas para o trânsito ou para sua operação, a Carris trabalhará para adquirir ônibus biarticulados para nossa frota”, afirmou o diretor-presidente da Carris, Sérgio Zimmermann.

O veículo é um modelo Volvo com piso rebaixado, acessibilidade e motor lateral. Este tipo de ônibus opera em outras grandes capitais do Brasil, como Curitiba e São Paulo.

O ônibus biarticulado corresponde a todos os requisitos técnicos estabelecidos pela Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), que vistoriou os veículos. “Agora vamos monitorar o ônibus e verificar como ele se comporta no trânsito. Se a resposta for positiva, utilizaremos esse tipo de veículo nas linhas onde há mais demanda de usuários, com o objetivo de qualificar o atendimento”, afirma o diretor-presidente da EPTC, Vanderlei Cappellari.

Biarticulado: 53 passageiros sentados, 110 em pé, com 27m de comprimento  Fotos: Marilia Canceli

Prefeitura

Anúncios


Categorias:Meios de Transporte / Trânsito

Tags:,

59 respostas

  1. O VLT transporta mais não polui, menos risco para a população e não usa 14 pneus como ônibus bi articulado, é mais rápido e pode ser alimentado por onibus comuns. Esse bi articulado é muito risco para a população.

    Curtir

  2. Quem mencionou ser um “avanço que a capital perdeu”, desculpe-me, mas está redondamente enganado, as mentes que governam Porto Alegre são as mesmas que retiraram os bondes há quarenta e dois anos!

    Tem um detalhe: como implantar uma linha destas nas avenidas estreitas da capital gaúcha? Somente nas perimetrais.

    A reportagem não menciona a largura, só o comprimento, creio que por exigir uma pista exclusiva para eles como o Sr. Manoel comentou.

    Porto Alegre não é Curitiba, os terminas do Centro da cidade não comportariam um ônibus destes, duvido que até o melhor motorista conseguiria manobra-lo nesta área e nas avenidas estreitas da capital, não sei as medidas, a reportagem só menciona o comprimento, 27 metros, ele tem a mesma largura do ônibus convencionais?

    Transporte público em muitos lugares, está sobre trilhos!

    Necessariamente não somente trens e metrôs.

    Bondes e VLTs circulam em quase todo mundo.

    Pior que estão enganando o povo com o projeto do “Bonde Turístico”, que a cada ano emitem uma notícia sobre ele e depois, silêncio total.

    Isto já faz uns dez anos! O problema? Os que administram o setor de transporte público sabem, se o povo tomar o gostinho, com certeza incomodaria, solicitando mais linhas, não como turístico, mas com os VLTs que estão sendo implantados em Fortaleza, Recife, Fortaleza, Macaé e futuramente em Brasília e Belém!

    São mais estreitos como nos links anexos, e os bondes mais modernos, estreitos comparados aos ônibus, ocupam bem menos espaço, como num Post anterior, onde o Sr. Gilberto que está bem ligado neste assunto publicou, e eu nem sabia, anexo também.

    Estes tipos de transporte podemos dizer que seriam realmente avanços na mobilidade urbana, sem poluição, custos com pneus, amortecedores, trocas de óleo, motores, mão de obra, custos adicionais, as passagens seriam mais baratas etc.

    Transporte limpo e silencioso, além de muito charmoso, uniria o útil ao agradável, em caso dum blackout, um motor a gás natural instalado nos mesmos como energia alternativa, assim na teoria não ficariam parados, isto que são coisas de primeiro mundo! Isto já é realidade no Nordeste e no Sudeste, a imprensa nacional, Globo, Record, etc. não noticia em âmbito nacional, não sei o porquê, bah estamos mais atrasados do que eles! É mais que vergonhoso!

    https://portoimagem.wordpress.com/2011/03/16/bondes-eletricos-estao-de-volta-nas-grandes-cidades-do-mundo/de-volta-nas-grandes-cidades-do-mundo/

    Curtir

    • Sem dúvida que o VLT, assim como o aero-trem e o monotrilho, são transportes mais indicados para grandes e médias cidades, incluindo as regiões metropolitanas, suas implantações são mais rápidas e menos onerosas que o metrô.

      Curtir

    • Aqui em Porto Alegre os administradores públicos não enxergam um palmo à frente de seu nariz e a inteligência não ajuda muito. Nos países de 1º Mundo, todas as grandes e médias cidades têm transporte de passageiros sobre trilhos, mas a burrice aqui abandonou esse tipo de transporte e prefere entupir a cidade com ônibus e gastar uma grana preta com as trocas de pneus. E esse tal de BRT vai ser um dinossauro nas vias da cidade já bastante conturbada. E a implantação do subterrâneo (metrô) é muito onerosa e de resultado muito duvidoso por não abranger toda a cidade como era na época dos bondes que atendiam a quase todos os bairros de norte a sul.

      Curtir

  3. Um grande avanço para Porto Alegre e ao povo gaúcho. Desde que vim para Curitiba, tenho andado nesses “buzões!” Aqui eles trafegam em pistas exclusivas,e, podem crer, são de grande utilidade! O problema são as horas de “pico”, mas muito tranquilo nos outros períodos do dia! Espero que estejam aproveitando bem o novo transporte, pois como gaúcho também, aprovo esse “trem!”

    Curtir

    • Foi apenas um teste e o ônibus ja voltou pra Campinas SP. Não vão comprar pq ele é muito grande pras mentes pequenas que governam Porto Alegre.

      Curtir

  4. bom dia.sou motorista de coletivo no rio de janeiro,aqui nos nao temos este modelo de veiculo,pois seria de grande utilidade em linhas intermunicipais,pois voces clintes precisam de mais conforto,televisao,radio,ar condionado.pois ficamos horas em emgarrafamentos, as vezes que parece nao ter fim.que deus continue abençoando os trabalhadores deste pais.um abraço ha todos.

    Curtir

  5. O FDP que tirou os bondes chamava-se Célio Marques Fernandes, mas quem retirou-os foi o pessoal da ditadura a mando da máfia dos ônibus controlada por eles mesmos!

    Até hoje está nas mãos de seus sucessores, os atuais políticos que mandam na prefeitura,
    mas estão à nível federal também, achas por quê a RFFSA foi sucateada?

    O antecessor do atual proprietário da GOL era um dos empresários de ônibus que lucrou com isto, aí vieram a Itapemirim, Penha, Cometa etc., assim como as companhias aéreas: VASP, VARIG, CRUZEIRO e SADIA que depois passou-se a chamar TRANSBRASIL, mas aos poucos todas faliram, aí o dono de uma empresa de ônibus criou a GOL, esta fez o tal “damping” e quebrou a VARIG, aí já existia a TAM, o resto é história!

    Curtir

    • Retificação. O prefeito na épca era o Telmo Thompson Flores.

      Foi indicado em 1969 para a prefeitura da capital gaúcha, pelo então governador Walter Peracchi Barcelos, e aprovado pela Assembléia Legislativa.

      Seu governo foi caracterizado por grandes obras, em especial na área dos transportes, desativando os bondes e incentivando o transporte automotivo, com a construção de seis viadutos.

      Curtir

  6. Poe quê logo a Carris, que foi no seu início uma empresa de bondes regrediu tanto a ponto de fechar os olhos pro que acontece no mundo, pois bem façam os testes, e testem também este VRT numa linha Centro – Moinhos de Vento.

    Abram o link abaixo.

    Transporte na Holanda

    Curtir

    • A Carris não tem culpa da saída dos bondes, quem tem a culpa é o prefeitinho que os retirou com a aquiescência com certeza de vereadores retrógrados. Eu esqueci o nome dele, mas vou procurar e vou postar aqui. FDP

      Curtir

  7. não vejo vantagem nenhuma, e 53 passageiros sentados é um absurdo né por favor.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: