Uma imagem: Porto Alegre sem o esqueleto (década de 50)

Cartão postal de Porto Alegre – década de 50. Retirado da página “Porto Alegre (Fotos Antigas)” do Facebook



Categorias:Fotografia, Fotos antigas

Tags:, , , ,

46 respostas

  1. não consigo compreender por que o predio da guaspari é revestido agora por um latão ,antigamente era tão bonito como mostra na foto ?

    Curtir

  2. Cheio de erros nos comentários… Primeiro que a cidade inteiro NÃO se resume ao centro. Se é pra comparar a modernidade da década de 50 e a modernidade de hoje em dia, usem, no mínimo, a parte mais moderna da cidade atualmente (terceira perimetral, Moinhos, Bela Vista, Iguatemi…), sem entrar no mérito se foi boa ou não essa mudança de eixo econômico da cidade (eu, particularmente, acho negativa). Também não seria nada injusto botar a culpa dos problemas atuais da cidade nessa geração das décadas de 50, 60, 70 e e 80. Foi nelas que a população disparou sem controle, favelas surgiram, a cidade começou a ficar suja, vieram os camelôs, os blocos “modernistas” que hoje estão mofados e caindo aos pedaços, o desleixo, as drogas… E hoje nos resta consertar esses erros (ou fazer de tudo pra não piorarmos mais ainda). Falando em termos gerais, o processo de modernização da cidade é muito mais ligado ao rápido crescimento populacional e econômico do que à estabilização de uma população mediana como temos agora. Na década de 50 éramos uma das capitais que mais cresciam no país, com índices maiores que os chineses atuais, entrando dinheiro de todos os lados, e o resultado óbvio foi uma cidade desenvolvida e pujante que fomos. Faz quase vinte anos que a população de Porto Alegre empacou. Não adianta em nada dizer que hoje temos a população quatro vezes maior se esse número foi alcançado há muito tempo. Hoje, relativamente, somos “menores” do que naquela época. Esse processo se deu em todas as capitais (é só ver que NENHUMA tem um centro que está melhor hoje do que há 50 anos atrás), porém aqui está mais avançado. Hoje temos índices sócio-econômicos muito melhores, menos pobreza, mais riqueza, porém mais favelas e pior qualidade de educação (mesmo sendo universalizada). Tem que fazer um balanço de dados, e não jogar toda a culpa na Porto Alegre de agora e achar que tudo era um paraíso naquela época. Nem vou comentar sobre as covardes comparações que estão fazendo entre Porto Alegre e cidades 5 vezes o tamanho dela… Pra não me alongar, só vou relembrar para alguns que em NENHUM índice somos a 12ª capital. Na população municipal (pouco usada para fins comparativos) somos a 10ª mas a região metropolitana (dados que são usados NO MUNDO TODO pra comparar tamanhos de metrópoles, e não esse conceito brasileiro ridículo de que cidade=município) POA é a 4ª maior do país. Desmerecer a própria cidade já é absurdo, mentir pra fortalecer sofismas é o cúmulo da falta de ética pra mim.

    Curtir

    • “Primeiro que a cidade inteiro NÃO se resume ao centro.” – nós sabemos, mas o assunto do post é o centro.

      Depois, Curitiba acho que tem o centro bem melhor hoje. Floripa talvez também. Ambas na região sul do país.

      Curtir

      • O post é sobre o centro, mas alguns comentários generalistas insistem em dizer “Porto Alegre era isso”, “Porto Alegre era aquilo”. Minha resposta foi aos comentários, e não ao post. Curitiba realmente tem umas 4 ou 5 ruas que estão melhores hoje (as mais turísticas, por sinal), mas, no geral, o centro de lá está lotado de lojas de quinquilharia e ruas tão problemáticas quanto as problemáticas do centro de cá. Fora que na década de 50 o centro de Curitiba (assim como o de POA) era o lugar com o comércio mais luxuoso da cidade e hoje está bem longe disso. Florianópolis tem uma população bem menor e é turística, então não vem ao caso (mesmo achando que o centro de lá está levemente pior).

        Curtir

      • O comércio luxuoso até pode ter saído do centro de Curitiba, mas ainda é um bom bairro… E curitiba nos anos 50 não dava nem meia porto alegre, não tinha nada da infra que tem hoje, nem os BRT’s. O que o centro de POA ganhou desde lá? O camelódromo?

        Floripa é turística então não conta? Por que? O rio também não conta? Floripa nos anos 50 era uma vila…

        Curtir

    • O crescimento econômico vem antes do crescimento populacional. As pessoas são atraídas por oferta maior de oportunidades e não o contrário.
      A população de Porto Alegre está estagnada como um reflexo da estagnação econômica. Não adianta desejar o aumento da população. Tem que desejar a melhora da economia: o resto é consequencia.

      Curtir

  3. Ricardo, na década de 50 não existia o Largo Glênio Peres e neste local circulavam os bondes e todas as ruas do centro tinham mão dupla.

    Curtir

Faça seu comentário aqui:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: