Um pacote para aeroportos

O ministro da Secretaria de Aviação Civil (SAC), Wagner Bittencourt, anunciou nesta quinta (20) a concessão dos aeroportos do Galeão (RJ) e Confins (MG) ao setor privado. O edital será publicado em agosto e o leilão deverá ser realizado em setembro de 2013. A estimativa do governo é que os operadores que ganharem a licitação invistam R$ 11,4 bilhões ao longo da concessão dos dois terminais. Só poderão participar da disputa gestores aeroportuários com experiência mínima de 35 milhões de passageiros por ano. Os acionistas majoritários dos consórcios que arremataram os três primeiros terminais leiloados (Brasília, Viracopos e Guarulhos) não poderão disputar esses terminais. Os minoritários sim. O ministro também anunciou a criação de uma uma estatal, a Infraero Serviços, que atuará e! m parceria com o operadores internacionais e prestará serviços especializados. O pacote para o setor contempla também um plano para estimular a aviação regional, com previsão de investimentos de R$ 7,3 bilhões para construir e reformar 270 terminais de pequeno porte no país. Existem hoje, em todo país, 720 aeródromos públicos. Dos R$ 7,3 bilhões que serão investidos nesses aeroportos, R$ 2,1 bilhões irão para 74 aeroportos regionais do Nordeste do país. Outros R$ 1,7 bilhão para 67 aeroportos do Norte. Para o sudeste, 65 aeródromos receberão R$ 1,6 bilhão. As regiões Centro Oeste e Sul receberão quase R$ 1 bilhão cada uma para seus 31 e 43 aeroportos regionais.

Os aeroportos regionais

Algumas lideranças, entre elas o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, não entenderam a iniciativa da presidente Dilma de utilizar o dinheiro da concessão dos aeroportos nacionais e internacionais para criar uma rede de aeroportos regionais. Usando de ironia, FHC afirmou que viu com boa vontade a construção dos 800 aeroportos, “mas só queremos três”. É lógico que não estamos satisfeitos com os grandes aeroportos que temos e até por isso o governo atual está passando sua gestão a empresas privadas. Mas não podemos desdenhar um plano que pretende dotar o país, que sempre se tem dito, é um continente, de aeroportos regionais. Aliás, já estamos atrasados em definir outros planos de longo prazo.

No RS serão 15 aeroportos

Aeroporto de Caxias do Sul será um dos contemplados

Aeroporto de Caxias do Sul será um dos contemplados

A parte que cabe ao Rio Grande do Sul nos investimentos em aeroportos regionais é, na primeira fase, um aporte de R$ 310,8 milhões em 15 aeroportos, de um total de R$ 7,3 bilhões em 270 aeroportos brasileiros (dos quais 17 serão construídos em 2013). Serão contemplados no Estado os municípios de Alegrete, Bagé, Caxias do Sul, Erechim, Gramado, Passo Fundo, Pelotas, Rio Grande, Santo Ângelo, São Borja, Santa Cruz do Sul, Santa Maria, Santa Rosa, Santa Vitória do Palmar e Uruguaiana. O departamento de Comunicação Social da Secretaria de Aviação Civil não especificou quais serão as obras ou quanto será investido em cada complexo. No caso da cidade de Gramado (que hoje não conta com aeroporto), o diretor do DAP, Roberto Carvalho Netto, especula que pode ter ocorrido algum equívoco, pois é a vizinha Canela que possui aeroporto. Ou será um empreendimento totalmente novo. Netto comemora o pacote anunciado pelo governo e acredita que servirá de mecanismo para atrair mais empresas e passageiros para a aviação regional. ?Isso servirá também para desafogar os grandes aeroportos?, aponta o dirigente. Já o coordenador do Fórum de Infraestrutura e Logística da Agenda 2020, Paulo Menzel, afirma que, para as necessidades da aviação regi! onal no Estado, seria preciso concretizar um investimento de maior porte. ?São recursos bem-vindos, mas poucos?, diz Menzel.

Affonso Ritter



Categorias:aeroportos brasileiros, Aviação

Tags:,

8 respostas

  1. Na região do Alto Uruguai gaúcho há um aeródromo desativado. Após estudo estratégico foi investido dinheiro público e construído um aeroporto com 1.190 m de pista pavimentada. VARIG, SAVAG, REAL AEROVIAS, TAC e CRUZEIRO DO SUL operavam ali linhas regulares. Essa área foi destinada a uma comunidade indígena e o aeroporto foi fechado! Esperamos que a presidenta Dilma Rousseff reveja essa questão e consiga reativar o aeroporto. Basta permutar com os índios uma área onde eles possam ter uma vida digna e fazer no local um aeroporto regional. Assim reparamos uma injustiça a toda a comunidade dessa região e damos aos Kaingangs uma aldeia temática, cujo projeto já existe.
    Vamos confiar!

    Curtir

  2. E sobre o Aeroporto de Vila Oliva em Caxias do Sul? Vai ou não sair? Não li mais nada sobre isso…

    Curtir

  3. Estão nos roubando na cara dura? Eduardo, você já foi para a região Norte do Brasil? Lá na maioria dos locais o acesso é apenas por avião ou rio. Não compare os estados igualmente. Acredite, o Amazonas e o Pará são gigantes, e podem sim por exemplo requererem mais investimento em aviação do que o Sergipe.

    Curtir

  4. Muitos números ao ar, quero ver o concreto se solidificar. Primeiro devemos quebrar o monopólio da Infrazero.

    Curtir

  5. Ué, os 800 aeroportos da semana passada já viraram 270? E desses, o RS só vai ganhar 15?
    Isso é apenas 1,8% dos 800 aeroportos, ou 5,5% dos 270. Estão nos roubando na cara dura!

    Aqui está a notícia oficial da promessa de 800 aeroportos:
    http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2012-12-12/dilma-anuncia-construcao-de-800-aeroportos-regionais-no-pais

    Curtir

  6. Gilberto, aproveitando o tópico aviação, vocês sabem por que o PalegreAoVivo está com acesso bloqueado? Vocês são parceiros deles, e era um baita blog, é uma pena ter saído…

    Curtir

  7. Achei muito bom o pacote.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: