POLITICAGEM BARATA PARA SABOTAR OS PORTOALEGRENSES E GAÚCHOS. NÃO ACEITAMOS ISSO! O SALGADO FILHO AINDA PODE SER AMPLIADO E APROVEITADO POR MAIS DE 30 ANOS

Aeroporto Internacional Salgado Filho ainda pode ser aproveitado como principal aeroporto gaúcho por mais de 30 anos. Foto: Gilberto Simon - Porto Imagem

Todos sabem que o desenvolvimento de uma cidade e, em se tratando de uma capital, de todo um estado também, passa pelo seu respectivo aeroporto. São milhões e até mesmo bilhões de reais que circulam em transações que dele necessitam para se concretizarem. Sendo assim espera-se que um tema de tamanha importância seja tratado com a maior seriedade e tecnicidade possível, sem politicagens ou interesses com viés eleitoreiro. Esse não é mais uma dessas pastas ministeriais ou de secretariado a serem costumeiramente distribuídas conforme as cotas partidárias, sob a égide de critérios nada técnicos e, sim, puramente políticos.

É aí que vem a denúncia: o nosso Aeroporto Internacional Salgado Filho aguarda há décadas pela famosa ampliação de sua pista, prometida por inúmeros governos e assegurada como obra essencial para a Copa 2014. Desapropriações milionárias já foram feitas e os recursos para a obra já foram assegurados. Todavia, agora tem se dito por aí que o Salgado Filho teria uma vida útil muito curta de apenas 6 ou 7 anos após a ampliação da pista e que para ampliá-la seria necessário um adensamento (reforço no solo) para que só então haja a referida ampliação e que isso não estava previsto e triplicaria os custos da obra. Dessa forma supostamente mais onerosa e para uma vida supostamente curta seria uma temeridade fazê-la. Portanto, a saída, segundo alguns dos nossos políticos locais, é a construção de um novo aeroporto  necessariamente em Portão/Santa Rita.

Ocorre que, em primeiro lugar, a necessidade de adensamento da pista é de conhecimento de todos desde a construção do aeroporto e, portanto, sempre esteve prevista e orçada nos cálculos da obra, conforme o próprio engenheiro da Infraero responsável pelo Aeroporto Salgado Filho falou recentemente à ZH, o que confronta e desmente totalmente a nova versão dada pelos nossos políticos locais favoráveis ao cancelamento da ampliação da pista. Além disso, já se gastou milhões de reais na obra do novo Terminal de Cargas (TECA) do Salgado Filho e a obra, que já está bem adiantada, perde totalmente o sentido e o investimento vai direto pelo ralo sem a ampliação da pista, pois os aviões cargueiros continuariam não podendo operar com carga máxima para destinos mais distantes. Seria uma tremenda irresponsabilidade, incompetência, falta de profissionalismo e até uma de falta de seriedade, uma má gestão e uma má-fé se gastar tanto numa obra como o TECA para nada, com tanta gente morrendo nas filas do SUS enquanto o governo gasta em obras sem sentido, como um moderno  TECA sem pista.

Outra coisa a se salientar, o Salgado Filho é um aeroporto em que estão previstas e orçadas duas expansões do Terminal 1.  Somando-se a isso, seria plenamente possível acoplar uma nova área de embarque ao antigo Terminal 2, como em Congonhas e no Santos Dumont e, assim, transformar a atual área de embarque dele em novas áreas de check-in e de desembarque, ampliando-o consideravelmente. Até mesmo um novo Terminal 3 caberia ali no sítio aeroportuário do Salgado Filho. Ou seja, não é uma vida útil de apenas 6 anos como alguns querem nos enganar e, sim, de no mínimo mais de TRINTA ANOS se as expansões assim fossem feitas. Esse acoplamento ampliativo do Terminal 2, por exemplo, seria rápido e fácil de se fazer, lembrando que em Congonhas fez-se o mesmo e utilizou-se material de concreto pré-fabricado, bem como no Santos Dumont, só que com estruturas metálicas que assim também o foram, o que agiliza e barateia a obra. Vejam as fotos deles:

Nova área de embarque acoplada ao Aeroporto de Congonhas, que o ampliou consideravelmente:

Aeroporto de Congonhas, São Paulo

Nova área de embarque do Aeroporto Santos Dumont:

Aeroporto Santos Dumont, Rio de Janeiro

Ou seja, o Salgado Filho é perfeitamente ampliável.

Também é importante questionar a escolha de Portão para a construção de um novo aeroporto para a região metropolitana. Falam que há estudos mostrando que trata-se de uma área viável. Ok, mas pergunta-se, é uma área viável, mas é a MAIS viável ? Há estudos comprovados de análise de outras áreas para o aeroporto também que sejam mais próximas da capital, como em Eldorado do Sul, por exemplo? E se é para fazer um novo aeroporto, que ele tenha pelo menos uma pista com 4 km ou pelo menos 3,5 km. Esse de Portão teria a sua maior pista com 3.200m (o mesmo que o Salgado Filho após ampliado e menos do que o necessário para muitas aeronaves operadas pelas principais companhias aéreas mundiais operarem, como os Boeings 777, os mais usados para viagens longas, dos quais apenas a sua primeira, mais antiquada, limitada e menos utilizada versão, a “-200″, poderia operar em sua plena capacidade nele, ou seja, dizem que estudaram tanto e planejam um novo aeroporto que já nasce limitado e obsoleto.

Sabe-se que existem aeroportos que ficam distantes das grandes capitais, mas é importante salientar que isso ocorre quando não há áreas livres mais próximas disponíveis, como é o caso de Belo Horizonte e o seu terreno extremamente acidentado devido ao terreno irregular da região. E o que ocorreu? As pessoas ficaram anos se recusando a utilizá-lo (Confins) e só passaram a usá-lo quando a utilização do central Aeroporto de Pampulha foi severamente restrita aos vôos regionais, não restando outra alternativa aos belo-horizontinos. E os políticos mineiros? Esses continuaram a usar os seus jatinhos no comodamente próximo e central Aeroporto da Pampulha. Já a população passou a ter que andar mais de uma hora de ônibus executivo ou de táxi até lá, destacando-se que uma corrida de táxi do centro de BH até Confins custa mais de R$ 100,00 (cem reais), o mesmo valor a se gastar em corridas de Guarulhos ou do Galeão até o centro de SP e ao final do centro ou ao início da zona sul do Rio. Muitas vezes sai mais caro a corrida de táxi do que a passagem de avião e perde-se o mesmo tempo da viagem de avião no caminho do centro ao aeroporto. Um aeroporto longe só é cômodo quando ele fica em uma cidade de um país de primeiro mundo, com trem de alta velocidade interligando o aeroporto ao centro da cidade em poucos minutos e com uma passagem barata.

Um aeroporto novo tem que ser fruto de uma necessidade natural e, não, mera imposição. Ainda restam muitas coisas possíveis a serem feitas no nosso estimado e comodamente central Salgado Filho, que até interligado ao metrô e, portanto, à diversas cidades da região metropolitana o é.

Por fim, lembremos que já se prevê novos aeroportos para Caxias (Vila Oliva) e Canela (Hortênsias), que são novas alternativas para quem mora na região de Portão. Não tem sentido deslocar a população de Porto Alegre até lá, que é bem maior do que a população de Portão e cidades do seu entorno. A população da serra utilizará os referidos novos aeroportos citados e as pessoas das demais regiões continuariam desembarcando na rodoviária central de PortoAlegre e teriam que se deslocar até Portão depois, tendo o Salgado Filho bem pertinho da rodoviária e sendo possível ir até ele de metrô.

O GOVERNO PRECISA INVESTIR NO SALGADO FILHO

O Governo do estado tem sim é que investir no Salgado Filho e, com isso, também melhorar e ampliar a estrutura de diversos aeroportos do interior do estado, descentralizando aviação estadual, pois diversos estados têm cidades do interior com vôos diretos para o centro do país e o RS incrivelmente não. O PR fez um excelente aeroporto estadual para Maringá, bem como ganhou do governo federal (via Infraero) um bom aeroporto para Londrina. SC entregou o aeroporto de Criciúma para a Infraero e possui modernos terminais em Navegantes e Joinville administrados pela Infraero. Aí pergunta-se, porque os aeroportos da Infraero no interior do RS não recebem o mesmo tratamento isonômico dado aos do PR e de SC? E porque o RS não faz nos aeródromos estaduais o mesmo que o PR o fez em Maringá, bem como porque não entrega para a Infraero os que ele não tiver condições de administrar, como SC o fez com Criciúma? Outros estados possuem diversos aeroportos funcionando espalhados dentro deles e com uma quantidade expressiva de voos comerciais, como o PR (Maringá, Foz do Iguaçu, Londrina e, comum pouco menos de voos, Cascavél), MG (Uberlândia, Uberaba, Juiz de Fora e Montes Claros), SC (Joinville, Navegantes, Chapecó e, com um pouco menos de voos, Crisciúma), SP (diversas cidades, como Ribeirão Preto, São José do Rio Preto, Presidente Prudente, Araçatuba, São José dos Campos, Bauru, dentre várias outras) e até mesmo o MT (Rondonópolis, Sinop, Alta Floresta). Nestas cidades há diversos vôos de diversas empresas, já no RS podemos considerar apenas Caxias (e que não tem voos da TAM, ao contrário de algumas das cidades citadas de outros estados) e Passo Fundo (que não tem nem TAM nem GOL). O problema do interior tem que ser resolvido com incentivo da aviação nele, pois é um absurdo que Pelotas, Santa Maria e mais algumas cidades grandes do interior dependam exclusivamente da pequena e cara NHT e que uma cidade como Caxias tenha tão poucos voos, ao contrário de outras cidades do mesmo porte, por causa das condições limitada do seu aeroporto.

Aeroporto de Maringá (construído e administrado pelo Governo do PR):

Aeroporto de Maringá, PR

Aeroporto de Maringá a noite

Aeroporto de Maringá, PR

Aeroporto de Maringá

Aeroporto de Londrina (INFRAERO):

Saguão do Aeroporto de Londrina, PR

Aeroporto de Londrina, PR

Precisamos procurar políticos que efetivamente nos ajudem e também divulgar isso na grande imprensa para revertermos isso, pois em poucos dias cortarão os investimentos da pista do Salgado Filho!!!

Colaboração: leitor Paulo Roberto



Categorias:Aeroporto Internacional Salgado Filho, Aviação, Meios de Transporte / Trânsito

Tags:,

100 respostas

  1. Bonita a discussão, convido-os agora à votação, e veremos mais claramente a opinião dos leitores: http://www.doodle.com/knx2bf6krnt5tc5s

    Curtir

  2. Bom, é isso pessoal! Espero que a nossa luta tenha o melhor desfecho possível! Nosso Salgado Filho merece ser tratado com mais respeito, pois ele ainda tem muito gás e lenha para queimar! Tudo é questão de investimento e querem (governo federal) investir nele, então não serão alguns políticos gaúchos politiqueiros que impedirão isso! Não deixaremos! Embarco amanhã cedo para um novo horizonte com a expectativa de um dia na volta encontrá-lo ampliado, vivo, vibrante. Vou dormir porque amanhã a viagem é longa. Um grande abraço a todos.

    Curtir

    • Deixo o país convicto que lutei pela minha terra! Fiz a minha parte, façamos a nossa também! #Fui

      Curtir

  3. E aí, Blog, cadê as novidades? Estamos conseguindo mudar alguma coisa, alguém já fez contato com o blog? Políticos da situação e da oposição? Jornalistas? Adeli Sell? Fortunati? Cadê esse povo para nos ajudar a evitar o cancelamento de recursos para a pista do Salgado Filho!! Além da escolha da localização desse novo aeroporto não ser nada técnica, já que não analisou comparativamente outras áreas alternativas e mais próximas, ainda não se contentam com isso e querem em conjunto com isso sabotar o Salgado Filho, que já tem até um novo TECA milionário quase pronto!! Começaram dizendo que seria um novo aeroporto estadual em parceria com a iniciativa privada e que assim seria uma alternativa independente à atual existente do aeroporto do governo federal (Salgado Filho). Agora mudam a conversa e decidem que o governo federal é que tem que fazê-lo e ainda assim abandonando os investimentos no Salgado Filho já quase em via de finalização, depois que o TECA está aí e as desapropriações já foram feitas? E porque essa pressa em desapropriar a área de Portão e indenizar o dono se ela já está reservada com destinação especial e assim já estaria assegurada para tanto? Gente, estou me mudando para fora do país neste final de semana, cheio de coisas para resolver, mas não consigo me calar diante dessa indignação! Isso precisa acabar! O RS não é um curral eleitoral onde alguém decide ao seu bel prazer que fara algo à sua maneira e a gente tem que sofrer calado e engolir! O BLog bem que poderia, já que é credenciado como a voz de POA, a falar com jornalistas de respeito, políticos da oposição e até alguma assessoria da Infraero (o tal engenheiro dela que combateu os argumentos do Beto) e até mesmo a assessoria da Dilma para tentar reverter isso!!!

    Curtir

    • Pessoal, conto com vocês para ajudar. Ja mandei pra diversos jornalistas. Ainda vou enviar para outros órgãos. Enviem também. Valeu!

      Curtir

      • Gilberto, também tenho mandado, mas precisamos que mais gente mande para encorpar o nosso coro de indignação e assim melhor legitimar a minha causa! Sei que muita gente se indigna e acaba não passando disso. Minha esperança é que essas pessoas a que tu tens contactado se interessem pela causa ao entender a gravidade do assunto! O blog representa para a cidade algo muito importante, por isso espero que o peso dele seja levado em considerção pelos por ti contactados! Vai postando o que forem te respondendo! Até agora não recebi nada, creio que ninguém mais esteja mandando, nem mesmo os frequentadores mais assíduos do blog, só nos mesmos.

        Curtir

        • *Corrigindo: onde saiu “melhor legitimar a minha causa” leia-se “para melhor legitimar a minha reclamação referente a essa causa”. Minhas reclamações via e-mail precisam encontrar mais reclamações no mesmo sentido para que a causa receba a devida atenção merecida e não vire mais um desses e-mails jogados sem serem lidos na lixeira da conta de e-mail das pessoas a quem estamos enviando.

          Curtir

  4. Não sou alguém que conheça muito bem a aviação, mas vou colocar um quadro comparativo entre Congonhas de o Salgado Filho, depois digam se este último não tem capacidade de ser ampliado ou não:
    Pistas:
    Congonhas: 1940m e 1935m
    Salgado Filho: 2280m e 1500m
    (passando a pista do Salgado filho a 3200m e o afastamento lateral entre a segunda pista de Congonhas com a do Salgado filho são iguais, com a diferença que a pista auxiliar do Salgado Filho pode ser ampliada e a do de Congonhas não).
    Área total do Aeroporto:
    Congonhas: 1,5km²
    Salgado Filho: 3,6km²

    Agora vem o mais importante:
    Números de passageiros
    Congonhas: 2.486.694 (2012) 16.753.567 (2011)
    Salgado Filho: 1.373.541 (2012) 7,836,074 (2011)
    Aeronaves
    Congonhas: 209.280 em 2011
    Salgado Filho: 99,584 aeronaves em 2011

    É um deboche dizer que o Salgado Filho esta superado e obsoleto, se compararmos o aeroporto de Congonhas, este sim encravado no meio da cidade, com pistas curtas sem possibilidade de grandes erros, com o Salgado Filho em comparação ao Congonhas que tem ótimas condições de aterrissagem (os prédios mais próximas das cabeceiras das pistas do Congonhas estão a 230m e 80m, enquanto o Salgado filho esta distância passa de 700m já com a pista de 3200m).

    Ou seja, existe um aeroporto em São Paulo que recebe mais do que o dobro de aviões e de passageiros que o de Porto Alegre, tem uma pista que ficaria com 60% do valor do de Porto Alegre, tem uma área aeroportuária que é a metade, e se o piloto erra o pouso cai direto sobre imóveis residenciais e/ou comerciais, e o nosso que está obsoleto.

    Se colar esta mentira, vou comprar uma bombacha, um chapéu com barbicacho e andar a cavalo dentro da cidade, pois estão pensando que só entendemos de pecuária.

    Curtir

    • Concordo! Se Congonhas comporta quase 20 milhões de passageiros, o Salgado Filho com terminais ampliados comportaria mais de 20 milhões, quase 30, ou seja, coisa para mais de trinta anos. O Salgado Filho precisa apenas de investimentos para ampliar os atuais terminais. Inclusive citei uma ampliação mais simples, mais rápida e mais barata para se fazer no terminal 2 e dar um novo gás na capacidade física do mesmo. A expansão da pista tem relação direta mais a ver com os voos para fora do continente e especialmente os cargueiros, sendo que o TECA já está em vias de finalização da obra, então faz mais sentido ampliar a pista do que criar um aeroporto todo do zero desnecessariamente.

      Curtir

  5. Concordo! Seria um tremendo desperdídio recomeçar do zero! Não faz muito que o aeroporto foi ampliado! E agora de novo? Conheço bem essas obras que não acabem nunca! É claro que existem interesses políticos por trás! Que novidade?! Temos é que mostrar p/eles que não somos bobos e muito menos cegos!

    Curtir

  6. Ontem tuitei o seguinte:

    @betoalbuquerque Conclua o Salgado Filho! Já foi gasto mto $$$ para desistir agora! #RespeiteDinheiroDoPovo (Apr 19, 4:34 PM via web)

    E, então, o Secretário Beto Albuquerque respondeu o seguinte:

    @portoimagem Fale c a Infraero q é quem decide.Pra mim 600milhões p 1km de pista no aeroporto é um absurdo.Se pra ti não é paciência. (Apr 19, 5:16 PM via Twitter for BlackBerry®)

    Curtir

    • Ele quer forçar o argumento com falácias! Todo mundo sabe que esse não é o valor real e, sim, o que ele inventou! Além disso, uma pista de aviação custa mais do que recapear a Av. Ipiranga, pois cada centímetro de pista implica no bom ou mau sucedimento de um pouso ou decolagem preciso, o que pode salvar ou perder vidas. As pistas do hipotético aeroporto de Portão, ainda que talvez lá não precise adensar, sairia num valor muito próximo ao do valor REAL da ampliação da pista do Salgado Filho. Ele está deturpando as coisas em prol da sua causa.

      Precisamos entrar em contato com políticos da oposição, isso sim! Urgente! Pois os da situação (Beto e etc) a gente já sabe que querem é ver o Salgado Filho pelas costas!

      Curtir

    • Gilberto
      Não tuiuteio porque não gosto do tal de “Tuviter”. Mas podes fazer uma perguntinha ao senhor secretário.

      O senhor já tem os ensaios de solo na região proposta para o futuro aeroporto, para dizer que lá ficaria mais barato?

      Curtir

      • Uma pergunta básica e talvez infantil, mas como desconheço a área de engenharia, posto que minha área é o Comércio Internacional e Administração aqui vai:

        1) A nova pista não deverá ser adensada também? Existem graus de adensamento? O adensamento no SF seria mais forte do que o do novo local, que tenha 99,99% de certeza de que nem estudos de solo foram feitos?
        2) Se o pseudo-secretário fazer com que eu entenda a seguinte questão, eu levantarei a bandeira do abandono da ampliação do SF para a construção de um novo:
        Como que a ampliação de algo como 1Km de pista e mais alguns reparos e reformas irão custar praticamente o valor de um novíssimo aeroporto, onde desapropriações também deverão ser feitas, adensamento deverá ser feito, obras viárias, acessos e sem contar em toda a estrutura física do próprio aeroporto em si, terminais de carga por onde nossas exportações poderão finalmente ser realizadas com um custo menor do que no SF? Então se o pseudo-secretário nos mostrasse a conta, quem sabe então poderíamos concordar com ele. Será que ele mostraria esta conta? mesmo que fosse em um rabisco de papel? Por que eu que sou da administração gostaria de saber como está conta fecha, pois ou o novo aeroporto será feito com o mínimo de desperdício e também de desvios ou, a ampliação do SF está sendo superfaturada…. gostaria de entender isso.

        Curtir

        • Ele virá com essa conversinha de números deturpadamente inflados por ele mesmo referentes à pista nova (o engenheiro da Infraero responsável pelo Salgado Filho já negou essa afirmação dele) e ainda esconderá os valores do aeroporto de Portão. Não tem como um aeroporto que só falta ampliar um pedaço da pista e fazer uns puxadinhos ampliativos dos terminais de passageiros atuais e que já se encontra com populações do entorno removidas em grande quantidade já e com um novo terminal de cargas em vias de finalização, além de já haver verba reservada para a ampliação da pista (o que é difícil se se conseguir incluir e neste caso já está inclusa no orçamento) custar o mesmo que um aeroporto que terá que começar todo do zero, com estudos mais aprofundados da área, do solo, de como serão os terminais e as pistas e equipamentos e da aquisição de tudo isso, de algo que parte do zero, devendo ainda se indenizar toda aquela gigantesca área e ainda necessitando várias obras viárias para que o referido novo aeroporto seja acessível, bem como ter que fazer negociações com os deputados federais para que estes incluam tudo isso no orçamento da União, sendo tudo incerto. É trocar um pássaro na mão por dois voando. podemos acabar sem a ampliação e sem um novo aeroporto. Ampliação sim! Portão não! Quando num futuro longíquo se precisar de um novo aeroporto, que então aí sim se estude bastante e se escolha uma área de maneira técnica e não eleitoreira!

          Curtir

    • Enfim, ele quer o aeroporto dele e não tem conversa.

      Curtir

      • Exatamente! Só que antes, apesar de achar Portão uma lonjura, enquanto eles não se metiam com o Salgado Filho eu ainda estava menos preocupado, só que agora eles querem capar o Salgado Filho e matá-lo à força para nos mandarem na marra para lá, só para termos que ficar agradecidos pela suposta benesse do progresso que teriam nos proporcionado pelo novo galpão lá da conchinchina que eles querem erguer. Eles precisam apresentar documentos técnicos, sérios e independentes, de gente de respaldo, mostrando (e provando documentalmente) que o Salgado Filho não é viável, bem como que Portão é a área mais viável dentre todas as possíveis. Exijo uma auditoria independentemente sobre o assunto! Tinham que fazer como atualmente o Governo Estadual de MG fez. Eles agora viram que Confins precisa ser ampliado e então não deixaram que o secretariozinho deles lá decidisse como achava pessoalmente melhor a seu bel prazer. Não, eles chamaram simplesmente a melhor empresa aeroportuária do mundo (a Changi Airports, responsável pelo premiadíssimo aeroporto internacional de Singapura, considerado o melhor do mundo), uma empresa séria, profissional, técnica, experiente e INDEPENDENTE para decidir isso de qual maneira será. Bem diferente do que no RS, onde o ex-sindicalista operário Paulo Paim e o advogado Beto Albuquerque querem saber mais que os ténicos e decidir por nós o nosso futuro adotando critérios meramente politiqueiros e eleitoreiros.

        Curtir

        • Uma prova da falta de tecnicidade e profissionalismo, além das anti-éticas mentiras lançadas sobre o Salgado Filho, que expressam falta de seriedade, é a escolha de uma pista de apenas 3200m para Portão, que se propõe a ser MEGA, totalmente livre de amarras e de restrições operacionais. Outra é o direcionamento dos supostos estudos de viabilidade ténica para uma única região, me fazendo lembrar outro episódio estadual e envolvendo a capital que foi bem politiqueiro e nada técnico, a escolha sumária do Beira-Rio para sediar a Copa sem sequer analisarem a Arena também. O resultado disso nós já vimos, perdemos uma visibilidade única para a atração de novos negócios e mais milhões de reais decorrentes disso com a perda do sediamento da Copa das Confederações

          Curtir

  7. Trabalho no aeroporto, e uma questão bastante discutida sobre nosso atual aeroporto é o fato de existir apenas uma pista para pouso e decolagens, e esse é um dos motivos que levará ao Aeroporto Salgado Filho, tornar-se saturado em apenas 6/7 anos, pois não teremos mais slots de vôos, somente em horários na madrugada e comercialmente torna-se inviável para as empresas aereas operarem nesses horários.

    Então, esse é um ponto “positivo” para se criar um novo aeroporto fora da capital, pois seria possível termos duas pistas.

    Curtir

    • Isso não procede, Robson! Há muitos aeroportos com uma pista só pelo mundo com uma capacidade operante muito maior do que a projetada para POA para os próximos 30 anos. Além disso cabe ressaltar que o aeroporto passa o dia inteiro com o pátio parcialmente vazio, bem como com algumas posições das pontes de embarque desocupadas. Além disso há espaço para mais pátio e mais terminal nele. É possível ficar no terraço do aeroporto durante o dia e ver que o movimento de pousos e decolagens está longe de ser frenético. Enquanto nos aeroportos do Rio, SP e no de Brasíli podemos ver três aviões descendo o céus enfileirados ao mesmo tempo, co um tocando a pista e assim que a deixando-a o outro pousando na sequência e assim por diante, o salgado filho tem seus pousos e decolagens muito espaçados ao longo do dia. E, quanto à madrugada, o horário em questão não seria necessário em POA justamente porque sobram slots na maior parte do dia em POA, mas, mesmo que fossem necessários, apesar de não serem tão bons, seriam comercialmente viáveis sim. Se tu fores em Guarulhos, Galeão, Brasília, Recife ou Salvador durante a madrugada verás que a movimentação de chegadas e partidas é quase que quantitativamente ao restante do dia fora dos horários de pico. Nesse aspecto o Salgado Filho atualmente quase que fecha de madrugada, tão poucos sãos os voos nesse horário, parecendo um Congonhas ou Santos Dumont, onde efetivamente as operações encerram nesse período, mas isso acontece porque ainda há muito horário livre para pousos e decolagens (slots) no Salgado Filho durante quase a totalidade do dia, inclusive nos horários supostamente de pico, já que as operações são muito espaçadas em POA. Quem olha o terraço de POA e o de algum outro aeroporto maior sabe disso. Nosso pátio está sempre pouco ocupado, com várias posições vazias durante todo o dia.

      Curtir

  8. Gilberto!!! e o nosso PREFEITINHO, nao vai se manifestar?

    Curtir

    • Exatamente, até parece que o aeroporto salgado filho nem fica na capital, cadê eles nessas horas? Está quieto escondido atrás da moita, com cara de “tô nem aí” o de “tanto faz”. O novo TECA operante traz significativas divisas em impostos municipais para POA, mas pelo jeito ele não liga para esses recursos possíveis de entrarem no caixa da PMPA. Isso sem falar nas outras vantagens que o Salgado Filho ampliado oferece e que as vilas removidas são uma matéria de interesse direto e crucual para a prefeitura. Ele está bem quietinho, não quer brigar com o Beto.

      Curtir

    • Esse é o problema de nosso federalismo de araque do Brasil, o prefeito de uma grande capital não pode dar palpite sobre o aeroporto da cidade ou da região – tudo é decidido em Brasília e, no caso, conforme os interesses dos aliados no governo do estado.

      Sabem que a pouco dias a Infraero acabou com todas as vagas de estacionamentos públicos no entorno do Salgado Filho, obrigando a todos usarem o estacionamento pago, e a EPTC disse que não poderia fazer nada a respeito porque aquela área estava sob “regência” federal.

      Curtir

      • Falta é cu.lhões ao Fortunati, pois outro Prefeito não aguentaria calado ao capamento do aeroporto de uma capital. As poupudas divisas financeiras que viriam do Novo Teca operante para engordar o caixa e os cofres públicos municipais agora vão escorrer pelo ralo, bem como perderemos muitas outras divisas que poderiam vir de um aeroporto salgado filho pleno e operante, além dos transtornos que evitaríamos. Ele é o legítimo bu.n.dão agindo assim e está a cavar a sua cova eleitoral para outubro vindouro. Que ele vá fazer cara de paisagem bem longe do paço municipal.

        Curtir

%d blogueiros gostam disto: