Metrô de Porto Alegre marca a estreia do governo federal em PPPs

Ministro das cidades anunciou investimento de R$ 2,4 bilhões em infra-estrutura do Rio Grande do sul

AguinaldoRibeiro350Com o discurso de que é preciso nivelar a infra-estrutura do Brasil ao protagonismo do país – situado entre as dez maiores economias do mundo – o ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, anunciou na sede da Fiergs um pacote de investimentos de R$ 19,1 bilhões na infra-estrutura do Rio Grande do Sul. O valor se distribui em habitação (o carro-chefe, com R$ 9,8 bilhões), saneamento (R$ 3,4 bilhões), mobilidade (R$ 3,4 bilhões) e a ampliação da linha da Trensurb, trem que interliga a região metropolitana de Porto Alegre (R$ 1,2 bilhão).

“O governo acredita nas Parcerias Público-Privadas para levar o País a um patamar elevado de competitividade”, afirmou o ministro. Para demonstrar que não se trata de mero discurso, Aguinaldo Ribeiro citou a liberação de recursos do governo federal para a obra do metrô de Porto Alegre, que está prevista para iniciar no próximo ano – e terá a parceira privada definida no primeiro trimestre de 2013. . “O metrô daqui, por exemplo, faz parte de uma PPP. É a primeira vez que o governo federal libera recursos para uma PPP”, destacou Ribeiro.

O ministro das Cidades destacou os investimentos para o transporte e as obras da Copa. “O metrô daqui, por exemplo, faz parte de uma PPP. É a primeira vez que o governo federal libera recursos para uma PPP”. Do total de R$ 2,4 bilhões, R$ 718 milhões são da Prefeitura de Porto Alegre, R$ 750 milhões financiados e o restante do governo. Em relação à Copa do Mundo, relatou que das dez obras previstas, totalizando R$ 913,7 milhões, oito já foram iniciadas.

A iniciativa federal de ingressar em uma PPP agradou o presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul, Heitor Müller. “Estamos felizes com o anúncio. Isso mostra um avanço da mentalidade das instituições. Esperamos que o Rio Grande do Sul siga o mesmo caminho”, defendeu Müller. Ele ressaltou ao ministro a importância de um combate vigoroso às deficiências de infra-estrutura, receita seguida por países que promoveram um salto de desenvolvimento. “Há pouco tempo lançamos o estudo Sul Competitivo, resultado da união das três Federações de Indústrias da Região Sul e da CNI. Mas para tornar realidade este documento, precisamos do esforço de toda a sociedade: entidades empresariais, indústrias, governos federal, estadual e municipal”, defendeu Müller.

Aguinaldo Ribeiro revelou a cifra que será investida em obras de saneamento básico em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul. Para os catarinenses, será investido um montante de R$ 400 milhões na construção de estações de tratamento de água. No Rio Grande do Sul, as 278 obras do PAC Saneamento serão cobertas pela cifra de R$ 3,4 bilhões – valores previstos para 2013. Heitor Müller se disse preocupado com a situação dos esgotos no RS. O presidente da Fiergs ressalta que muitas indústrias são multadas injustamente por poluição de águas. Muitas vezes, o despejo de substâncias poluentes é feito por civis, por falta de esgoto cloacal. “O governo precisa tomar medidas efetivas no tratamento de efluentes”, afirma Müller. Segundo ele, a continuar o ritmo atual de investimentos em obras de saneamento, o Rio Grande do Sul levará “90 anos” para universalizar o acesso à água tratada.

Revista Amanhã



Categorias:Metro Linha 2, Trensurb

Tags:, ,

18 respostas

  1. Um Feliz Natal a todos que lutam para que a aldeia de Asterix entre no século XXI !

    Curtir

  2. Errata; thumb

    Curtir

  3. Pesquisa de opinião pública;
    Quem acha que o metrô vai sair sair do papel dê um thump up.
    Quem acha que o metrô é só conversa fiada dê um thump down.

    Curtir

  4. Seria amadurecimento?

    Curtir

  5. legal!

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: