Empresas retomam obras nos corredores de BRTs

Primeira fase do novo sistema está com cerca de 80% das obras concluídas   Foto: Anselmo Cunha/PMPA

Primeira fase do novo sistema está com cerca de 80% das obras concluídas Foto: Anselmo Cunha/PMPA

As empresas retomam, quinta-feira, 10, as obras nos corredores BRTs das avenidas Protásio Alves e Bento Gonçalves. O prazo é considerado necessário para remobilização de equipamentos e mão-de-obra. A decisão da retomada das obras foi feita após Notificação de despacho, no dia 25/09, dos Conselheiros Relatores do Tribunal de Contas do Estado (TCE-RS).

Conforme despacho, o entendimento da possibilidade de retenção unilateral dos valores diverge do juízo efetuado pelo Tribunal de Contas da União, conforme Acórdãos n.º 2784/2012 – 3241/2013. O secretário de Gestão, Urbano Schmitt, reforça a total transparência de todos os projetos que podem ser acompanhados através do site www.transparencia.com.br.

Urbano Schmitt salienta, que esta primeira etapa é a mais difícil, ocasionando desconforto, pois estão sendo substituídos os pisos em asfalto por placas de concreto. “Estamos com cerca de 80% das obras concluídas nesta primeira fase, considerada a mais complicada. Com a retomada das obras pelas empresas, o novo piso dos corredores de Brts, estará pronto em abril de 2014. Sendo assim, os atuais ônibus poderão trafegar normalmente, proporcionando mais conforto aos usuários do transporte coletivo”, destacou o secretário de Gestão.

A próxima etapa do projeto dos BRTs será a substituição das estações atuais, por estações fechadas e a construção de novos terminais. Os novos ônibus serão comprados pelas empresas que vencerem a licitação, que poderá acontecer ainda em 2014.

Prefeitura de POA

_________________________

Corredor da Osvaldo Aranha, hoje, 08/10/2013, ao meio dia:

20131008_113953Foto: Gilberto Simon



Categorias:BRT

Tags:, ,

28 respostas

  1. É um absurdo que no corredor da Osvaldo o velho e conhecido problema de acúmulo de água na sarjeta continue, MESMO APÓS A SUBSTITUIÇÃO DO PAVIMENTO. Ou seja, conseguiram refazer com o mesmo problema de caimento, o que transforma transitar pela região em dia de chuva em uma certeza de levar um banho de água suja! Eu brinco que as poças do corredor da Osvaldo eram tombadas pelo patrimônio histórico e não puderam ser consertadas, só rindo pré não chorar!

    Curtir

  2. Vê se pode, esse tipo de obra deveria ser planejada para ser executada no menor tempo possível devido aos transtornos que causam.
    Imaginem se sair o metro? A Assis Brasil vai ficar interditada por no mínimo uma década!!

    Curtir

    • No dia que as empreiteiras que fazem obras para o poder publico descobrirem o que é um PDCA e fizerem as obras saem muito mais rápido.

      Curtir

      • O dia que começarem a aplica e cobra multas pesadas das empreiteiras por não seguirem o cronograma, e impedirem elas de entra em novas licitações de obras publicas, ai elas começam a faze a coisa direito!

        Curtir

  3. Tempo de vida do asfalto = 4 anos.

    Curtir

  4. O corredor da Bento (que foi construído, tipo, ontem) está no mesmo estado do corredor da 3ª perimetral (que foi construído há muito tempo).

    Curtir

  5. Quer apostar que vão colocar a culpa na areia?

    Curtir

  6. Já terão que refazer todo o trabalho. Os “novos” corredores já estão com rachaduras severas e se esfarelando! Vide Bento Gonçalves!

    Curtir

    • No corredor da Protásio não vi rachaduras ainda. Tenho tentado observar e não vi nada.

      Curtir

    • Se não refizerem agora terão que refazer daqui a dois anos no mínimo, nunca vi obras tão malfeitas quanto essas da Copa. Tudo feito da pior forma possível, mais barata, pra não falar na preocupação estética zero.

      Curtir

    • Sem falar que a emenda entre o concreto e o asfalto foi pessimamente feita. Olho pra aquilo e me pergunto se a prefeitura tem algum controle de qualidade sobre os serviços prestados. A lógica deve ser do menor preço sem qualquer critério de qualidade.

      Curtir

      • Essa emenda não é só uma questão de beleza, afinal, com o tempo essa é uma área que vai deformar e afetar a suspensão do ônibus, prejudicando o conforto do usuário e aumentando a manutenção.

        Curtir

        • Muito bem colocado… Daí eu comparo a durabilidades dos ônibus de PoA de uns 5 ou 6 anos com bondes que funcionam a 100 anos em algumas cidades europeias. Acho que somos muito ricos para fazer obras tão descartáveis e trocar de ônibus tão seguido.

          Curtir

    • O da Bento ta todo rachado em diversos pontos

      Curtir

      • Cara, esse é o corredor novo? Que horror! Está na hora do MP entrar na jogada e embargar tudo, já que a prefeitura não tem capacidade de fiscalizar e exigir o mínimo de qualidade.

        Curtir

        • Exatamente! É o “novo”! Um serviço muito porco, por sinal! Aliás, aproveitando esse espaço de comunicação, alguém saberia para quem eu poderia enviar essas fotos (um órgão fiscalizador)?

          Curtir

    • É normal ter rachaduras. Não priemos cânico. É só ver a farrapos que tá cheio delas e ainda não abriu nenhuma cratera na cidade.

      Curtir

      • É normal ter rachaduras, mas não após poucos meses o corredor ter ficado pronto. Aliás, ele ainda não está pronto e já tem rachaduras.

        Curtir

        • O mais normal é logo quando está pronto, sim. O concreto tá se alocando ainda. Ele vai ficar pronto em 5 anos.

          Curtir

      • Não vejo tantas rachaduras e buracos assim no corredor da 3ª Perimetral que foi concluído há 10 anos. Aliás, é normal ter buracos também?

        Curtir

        • Normal não é. Mas não dá pra tirar nenhuma conclusão de que a obra tenha sido mal feita. Talvez tenha havido algum descuido. Vai saber. Talvez o Maicossuel, rapaz responsável por aquele trecho da obra, tenha se descuidado por 5 minutos no dia da concretagem, já que estava com sono, visto que na noite anterior ele teve que levar seu filho mais novo (dos 6 filhos que ele tem) até o posto de saúde mais próximo da casa dele, situada no Lami. Só que infelizmente ele não tem carro, então teve que se descolar até lá a pé. Espero que o pequeno Cridomar esteja bem.

          Curtir

        • Infelizmente ele não tem carro e infelizmente não temos transporte público descente para que as pessoas que não tem carro possam se deslocar com o mínimo de conforto, principalmente qdo há algum familiar doente.

          Veja que vc relatou que o problema de transporte gera problema de transporte (rachaduras). Imagine a quantidade de problemas que essa nossa máfia da ATP e seus tentáculos não criam para o município.

          Curtir

        • É tudo um ciclo vicioso, cara!!11!!!

          Curtir

%d blogueiros gostam disto: