Uma Porto Alegre para o futuro, por Urbano Schmitt

Sim, vai ter Copa em Porto Alegre. E, apesar dos transtornos temporários que as obras de mobilidade urbana causam, são inegáveis e permanentes os benefícios econômicos e sociais ao município. Entendemos que um evento do porte de uma Copa Mundo é a oportunidade única de movimentar o comércio, o turismo e os negócios da cidade. E tal impacto implica a geração de empregos, a qualificação dos serviços e o crescimento do valor da marca da cidade. Com a Copa, Porto Alegre se consolida como destino turístico relevante, preparada para receber grandes eventos nacionais e internacionais.

Respeitamos opiniões contrárias, mas discordamos da retórica dos críticos que desqualificam a Copa, sem considerar os esforços que estão sendo feitos para preparar a cidade e deixar um legado. Por certo, reconhecemos e lamentamos os eventuais atrasos nas obras de mobilidade, mas continuamos trabalhando diariamente para que os cronogramas sejam cumpridos e os incômodos, que mudam a rotina das pessoas, minimizados. Entretanto, lembramos que não são poucos os fatores que afetam o cumprimento dos prazos. Decisões judiciais, processos licitatórios, trâmites legais dos financiamentos e outros contratempos, acabam elevando o prazo de conclusão das obras, contra nossa vontade.

Este conjunto de 14 obras de mobilidade, entre elas os BRTs (sistema de transporte coletivo de alto desempenho e qualidade) e as ciclovias, além de atender uma demanda histórica na cidade, ficarão de legado para as próximas gerações. Mais ainda, os projetos do Cais do Porto e do Metrô começam a se tornar realidades. Não temos a pretensão de “construir uma Porto Alegre nova”, apenas estamos caminhando para frente, com um olhar para o futuro.

Além disso, são animadoras as previsões econômicas e sociais sobre os impactos da Copa no país. Segundo levantamento da Fecomércio-RS os jogos da Copa em Porto Alegre devem movimentar o setor terciário em até R$ 360 milhões. A Fundação de Economia e Estatística (FEE) aponta para um crescimento financeiro do Estado de R$ 503,6 milhões durante o período de 15 a 30 de junho. Recentemente, a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), com base no fluxo de 3,6 milhões de turistas que deverão circular durante a Copa no país, revela que o maior evento do futebol mundial deverá gerar 48 mil postos de trabalho no setor de turismo.

A administração municipal firma a convicção de que esta será a Copa do Mundo de todos os povos e de todas as cores. Será a Copa do respeito às diferenças, Copa da tolerância e para isso estamos engajados. A Porto Alegrem multicidade, de diferentes etnias e múltiplas culturas, que tem por vocação ser acolhedora, estará muito bem preparada para receber de braços abertos os torcedores do mundo inteiro. E orgulhosamente, por sua gente, certamente vai participar dessa emoção.

Urbano Schmitt
Secretário de Gestão de Porto Alegre

Prefeitura de Porto Alegre



Categorias:COPA 2014, Meios de Transporte / Trânsito

Tags:, , ,

18 respostas

  1. A Copa é um sucesso de faturamento de todas as empresas e mídias envolvidas com a comercialização do evento,e o povo ganha o circo alienante do patriotismo que enxuga corações emocionados,vindouros de cabeças ignorantes e egocêntricas que defendem a sua nação com unhas e dentes contra a hipocrisia,dos países inferiores à seleção superior.
    O povão se veste de palhaço tupiniquim na copa e tanto faz, aceita-se tudo menos perder o evento.
    “Sou brasileiro, mas não é culpa minha”.

    Curtir

%d blogueiros gostam disto: